06 ago 2018

Voltamos da China com referências e ideias na bagagem

Edifícios imensos, 40 andares espelhados, saguões reluzentes e infraestrutura funcional de alta tecnologia; edifícios “baixos”, sete, dez andares, com paredes gastas, pintura velha e infiltrações à mostra. Lojas luxuosas, barracas com comida de rua; avenidas largas e bem pavimentadas, becos e vielas; mar e asfalto; letreiros de neon escritos em inglês e com caracteres chineses. Durante 18 dias, o diretor da MovID, Ivo Duran, esteve mergulhado em um mundo de referências opostas e também confluentes que conformam Hong Kong e Shenzhen, na China. O diretor esteve nas duas cidades para cobrir o RISE, megaevento mundial de tecnologia, e para registrar imagens das cidades e da maneira como os chineses se locomovem. A viagem foi feita a convite do Instituto PARAR – Pensando Alternativas Responsáveis Administrando Frotas com Resultado.

Ivo Duran (MovID), Atos Plens (Parar) e Pedro Conte (Parar)

A volta de Ivo Duran para o Brasil está repleta de referências, descobertas e ideias, algumas das quais o diretor da MovID compartilha aqui:

1. Sistema de pagamento por celular
Para realizar pagamentos online, os consumidores chineses utilizam o WeChat. Conhecido como Super-App, o aplicativo é como um WhatsApp com várias funções, entre elas, o pagamento de contas, pedido de táxi e comida, tradutor, agendamento de passeios e outras facilidades.

2. Versões exclusivas para serviços norte-americanos
Alguns dos serviços online e aplicativos mais populares do mundo são bloqueados na China. Este é o caso do Google, do Facebook e do Uber. Isso não significa que os chineses estão privados dessas facilidades. Pelo contrário. Para cada serviço e aplicativo bloqueado, os chineses criaram sua versão própria. Canais de compra, de vídeos e músicas online, ferramentas de busca, aplicativos de viagem, de relacionamento, de compartilhamento de veículos, canais de jogos online e streaming e redes sociais. Para cada um desses segmentos, a China tem sua própria versão.

3. Transporte público elétrico
Na cidade de Shenzhen, conhecida como o Vale do Silício chinês, o sistema de transporte público por ônibus é o único 100% elétrico no mundo. São mais de 16 mil veículos nas ruas, a maioria produzido pela montadora BYD, visitada pela MovID. A BYD também produz os táxis elétricos que circulam pela cidade.

4. Bicicletas elétricas e bikes compartilhadas
Bicicletas elétricas e compartilhadas são dois dos principais meios de transporte individual utilizados em Hong Kong e Shenzhen. Durante a estadia da MovID nas duas cidades, o diretor da produtora utilizou as bikes compartilhadas da marca OFO. Conhecidas como bike dockless (traduzindo livremente, “bike sem ponto de devolução”), estas bicicletas não precisam ser devolvidas em um local específico, como é o caso das bicicletas do Itaú espalhadas por algumas capitais brasileiras. No caso do sistema dockless, o usuário só precisa encostar a bicicleta em um local seguro e travar o cadeado fixo dela.

 

 

5. A força do delivery
Os aplicativos de entrega de comida, como o Panda Food, e outros serviços delivery, são muito utilizados nas duas cidades. Além da conveniência do serviço para quem o utiliza, há também a estrutura favorável para quem o oferece – as calçadas são largas, aptas a receber as bikes elétricas utilizadas pelos funcionários das empresas de entrega.